Passar para a navegação primária Passar para o conteúdo Passar para o rodapé
Manta ray

Manta
(Manta birostris)

As mantas já foram consideradas perigosas mas, hoje em dia, sabemos que são gigantes gentis, inofensivas e extremamente vitais para os nossos oceanos. Nos séculos XVIII e XIX circularam entre os marinheiros todo o tipo de histórias de horror sobre as mantas, que na altura eram referidas como “”peixe-diabo””, provavelmente devido ao seu aspecto e tamanho.

São populares entre os mergulhadores e a maioria destas tolera a proximidade dos humanos.

Ao contrário de outras espécies de raias, eles não têm barbela venenosa na cauda. Os raias manta permanecem geralmente nas camadas superiores da coluna de água, onde podem-se alimentar mais facilemnte das suas presas mas aparentemente preferem o fundo do mar, para descansar.

Informação geral

Tamanho dos adultos: 5m – 8m de comprimento; largura de até 7m.

Presa: Principalmente plâncton, mas também peixes pequenos.

Ciclo de vida e comportamento: Estes animais atingem a maturidade sexual com uma idade de aproximadamente 5 anos. As fêmeas dão à luz crias vivas que se desenvolvem no oviduto da fêmea (semelhante às trompas de Falópio nos humanos) a partir de ovos fertilizados que eclodem enquanto ainda estão no corpo da mãe. Isto significa que os mantas pertencem ao grupo dos peixes vivíparos. Têm um período de gestação de cerca de 13 meses, e os juvenis têm já 1,5 metros de largura à nascença e pesam 10kg.

Habitat e alcance: As Mantas encontram-se nos oceanos tropicais e temperados, sendo os Açores, a África do Sul e a Nova Zelândia os lugares de maior ocorrência. Normalmente preferem águas costeiras próximas de recifes ou falésias, zonas de afloramento (zonas costeiras onde a água das profundezas ricas em nutrientes sobe à superfície) e arquipélagos oceânicos.

Características distintivas: Costas cinzentas escuras; barriga pálida a branca; cabeça muito larga com longas barbatanas cefálicas “barbatana de cabeça” de ambos os lados que utilizam para canalizar água rica em plâncton para a sua boca na ponta frontal do corpo (também chamada “boca terminal”). Por vezes saltam fora de água, o que pode fazer parte da sua exibição de cortejo. As mantas batem as suas longas barbatanas à semelhança dos pássaros e deslizam elegantemente através da água. Há quase sempre peixes remora (ectoparasitas) presos à sua pele que não causam danos.

Taxonomia: Classe: Chondrichthyes (peixe cartilaginoso); Família: Myliobatidae (Raias-águia); Género: Manta

Ameaças/tamanho da população: As mantas (raias) são frequentemente capturadas em redes de pesca (redes de deriva e redes de emalhar; pesca do atum) e são mesmo caçadas em alguns países. A sua carne é considerada uma iguaria local, o seu fígado é rico em óleo e a sua pele é transformada em materiais de construção, tais como as lixas. Devido à sua lenta taxa de reprodução e sendo caçadas na sua área de vivência, as populações de espécies de mantas são consideradas vulneráveis. Um outro problema é a poluição agora generalizada das águas costeiras.

Skip to toolbar